A Polícia Civil do Piauí, através da Delegacia de São Raimundo Nonato, concluiu o inquérito policial em torno do assassinato de João Rodrigues Neto Dias, marido da secretária do Trabalho e Assistência Social do município, ocorrido no último dia 13. 

Em coletiva à imprensa, o delegado Marcelo Barreto, que presidiu as investigações, explicou que todos os envolvidos no crime foram identificados e indiciados por homicídio qualificado. Segundo ele, o assassinato foi motivado por vingança, após a morte do pai de alguns dos mandantes do crime em um acidente de trânsito em que João Rodrigues se envolveu, apontado por eles como um suposto culpado. 

Polícia conclui inquérito em caso de marido de secretária e indicia envolvidos (Foto: Meio Norte)Polícia conclui inquérito em caso de marido de secretária e indicia envolvidos (Foto: Meio Norte)

“Foi um crime de mando. O executor foi contratado para cometer esse delito e a motivação seria essa vingança pelo dia 2 de junho do presente ano, o pai, o senhor pedro, teria falecido em um acidente automobilístico que nós concluímos na época no inquérito, sem indiciamento do João Rodrigues, atual vítima do homicídio e não houve uma concordância. Houve um inconformismo da família que não procurou os meios legais e impugnação para isso”, destacou o delegado. 

Foram presas seis pessoas: O autor dos disparos, Juniel de Assis Paes Landim; Juliermes Braga Paz Landim, que estava escondendo a arma utilizada no crime; Paulo Ferreira Pereira, mentor do assassinato, além de Patrícia Ferreira, irmã de Paulo, seu marido e um mototaxista, que teria levado o autor dos disparos ao local do crime em um veículo.

Paulo Ferreira foi o autor intelectual do crime (Foto: Reprodução)Paulo Ferreira foi o autor intelectual do crime (Foto: Reprodução)

Ainda de acordo com o delegado, o crime foi totalmente planejado e previamente conhecido por todos os envolvidos. Juniel de Assis Paes Landim teria recebido a ordem para matar João Rodrigues na frente das filhas. 

“Todos nós indiciamos pelo menos delito. Homicídio qualificado, pois todos aderiram à conduta desse crime e sabiam previamente, participaram do planejamento e tinham o domínio do fato. Todos sabiam e preecheram o requisito intelectivo, bem como subjetivo. Aderiram em vontade a cometer esse crime. A questão da culpabilidade será aferida em um momento posterior, depois da questão processual. Vai ser aferido na dose métrica da pena, se sobrevier, a condenação”, completou Marcelo Barreto.

Delegado Marcelo Barreto, que presidiu as investigações (Foto: Matheus Oliveira / Rede Meio Norte)Delegado Marcelo Barreto, que presidiu as investigações (Foto: Matheus Oliveira / Rede Meio Norte)

 Relembre o caso

João Rodrigues Neto Dias foi assassinado a tiros na manhã do dia 13 de setembro, no centro do município de São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí. Ele era casado com a Secretária do Trabalho e Assistência Social da prefeitura da cidade, Valdenia Costa e filho da empresária Edna Rodrigues. 

O crime aconteceu enquanto João Rodrigues foi buscar suas filhas na escola. Ele havia acabado de pegar as meninas, quando uma pessoa teria se aproximado dele, mandou as duas descerem da garupa da motocicleta em que estavam e o alvejou a tiros. Em seguida, o suspeito fugiu em destino ignorado. Suas filhas presenciaram tudo.

*Por Victor Melo e Matheus Oliveira