Juiza nega recurso e Moaci será julgado por homicídio doloso

Ele responderá por dois homicídios dolosos (há intenção de matar).

A juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, negou recurso favorável a Moaci Moura Júnior, acusado de matar, em um acidente de trânsito ocorrido em julho, os idealizadores do coletivo Salve Rainha, Bruno Queiroz e Júnior Araújo. O texto foi publicado na página do Tribunal de Justiça do Piauí. 

De acordo com a magistrada, o jovem será julgado pelo crime de homicídio doloso (quando há intenção de matar), e não culposo (quando quem o praticou não teve a intenção de matar ou assumiu o risco de fazer), conforme foi solicitado pela defesa do acusado. 

Moaci Moura Júnior (Crédito: Reprodução)
Moaci Moura Júnior (Crédito: Reprodução)

Na decisão, a juíza esclarece: “Esta Unidade Judiciária tem competência privativa para o julgamento e processamento das ações penais pelos crimes dolosos contra a vida, julgo improcedente a exceção de incompetência arguida pelo acusado”. 

Moaci Junior é acusado de cometer homicídio duplamente qualificado e lesão corporal, com os agravos de ter se evadido do local onde houve a colisão sem prestar socorro, ter invadido o sinal vermelho e dirigir alcoolizado. 

No último dia 9 de agosto, Moaci atendeu a uma medida cautelar imposta e entregou sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A medida cautelar foi  proferida pela juíza  Maria Zilnar Coutinho Leal, que negou o segundo pedido de prisão expedido pelo Ministério Público Estadual. O primeiro, requerido pelo promotor de Justiça Ubiraci Rocha, também foi negado pelo juiz da Central de Inquéritos de Teresina, Luiz de Moura Correia. 

Após o acidente, ocorrido em 26 de junho deste ano, o jovem chegou a ser preso, mas foi solto após pagar uma fiança no valor de referente a oito salários mínimos, somando o montante de R$7.040.

O acidente

Na noite do dia 26 de junho, o automóvel modelo Corolla conduzido por Moacir Júnior, de 27 anos, invadiu o sinal vermelho em um dos cruzamentos da Avenida Miguel Rosa em alta velocidade e bateu em um Fusca, causando a morte imediata de Bruno Queiroz e deixando gravemente feridos Francisco das Chagas Junior, irmão de Bruno, e um amigo, o jornalista Jader Damasceno, 25 anos.

Veículo em que vinham os dois irmãos idealizadores do 'Salve Rainha' (Crédito: Reprodução)
Veículo em que vinham os dois irmãos idealizadores do 'Salve Rainha' (Crédito: Reprodução)


Morte de Júnior Araújo

No dia 29,  o Hospital de Urgência de Teresina (HUT)  divulgou boletim médico  confirmando a morte encefálica do jornalista Júnior Araújo. "É com muita tristeza que a direção do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) comunica a confirmação da morte encefálica do paciente Francisco das Chagas Júnior, após o fechamento do protocolo com a realização do último exame clínico às 18h38min.Ascom HUTApós a detecção de ausência de reflexos de tronco encefálico, depois da retirada de sedativos, a equipe médica do HUT avaliou o quadro e decidiu abrir o protocolo de morte encefálica, ao meio dia de hoje (29)", diz parte do boletim divulgado pelo HUT, na época

Júnior Araújo (Crédito: Reprodução)
Júnior Araújo (Crédito: Reprodução)


Sobrevivente

No dia 30 de julho,  depois de um mês internado, o jornalista Jader Damasceno, recebeu alta médica. Único sobrevivente do trágico acidente,  o jornalista fez vários exames e realiza sessões de fisioterapia, já que teve fraturas no crânio, perna e lesões por todo corpo. 

Jader deixando o hospital ao lado dos pais (Crédito: Reprodução)
Jader deixando o hospital ao lado dos pais (Crédito: Reprodução)


Fonte: Portal Meio Norte