Por Arimatéa Carvalho

O Brasil tem a terceira maior população de pets do mundo, com 139 milhões de animais vivendo nos lares (cães e gatos são a maioria). O mercado pet já representa 0,36% do PIB nacional, à frente dos setores de utilidades domésticas e automação industrial. Em um único ano, por exemplo, a indústria de produtos para animais de estimação faturou mais de R$ 20 bilhões. Ou seja, eles são membros das famílias. Agora, o deputado federal Fábio Abreu (PSD) quer que os gastos com os bichinhos sejam deduzidos na declaração do Imposto de Renda.

MEDO DA CONTA

“A gente percebe que muitas pessoas têm até interesse em ter um animal de estimação, mas ficam com receio por causa dos gastos, que na maioria das vezes são alto. Então, o presente Projeto de Lei visa conferir a sociedade de modo geral, e aos médicos veterinários a possibilidade de terem as despesas realizadas com seus animais de estimação deduzidas das suas declarações de imposto de renda pessoa física”, afirmou o parlamentar.

APROVAÇÃO LOGO

O projeto de lei de Fábio Abreu está apenas aguardando parecer da Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados e é conclusivo, ou seja, sendo aprovado nas comissões ele vai direto ao Senado para aprovação ou não. Nesse caso, ele não passa no plenário da Câmara. A expectativa é que a Comissão de Finanças aprecie o PF logo após às eleições.

Câmara vai votar projeto de Fábio Abreu que deduz gasto com pet no Imposto de RendaCâmara vai votar projeto de Fábio Abreu que deduz gasto com pet no Imposto de Renda