Matéria atualizada às 20:15

Rússia veta resolução condenando invasão da Ucrânia no Conselho de Segurança da ONU

A Rússia vetou a resolução do Conselho de Segurança da ONU que serviria para condenar a invasão da Ucrânia. Foi o único país a votar contra, mas seu voto tem poder de veto.

A China se absteve. Emirados Árabes Unidos e Índia também se abstiveram. O Brasil, que ocupa assento temporário no conselho, votou a favor, junto com EUA e outros nove países.

Embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, no momento em que vetou resolução do Conselho de Segurança (Foto: Carlo Allegri/Reuters) Embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, no momento em que vetou resolução do Conselho de Segurança (Foto: Carlo Allegri/Reuters) 

Matéria atualizada às 18:56

'Níveis de radiação estão mais altos', diz representante da Ucrânia

Rússia veta resolução condenando invasão da Ucrânia no Conselho de Segurança da ONU

O encarregado de negócios da embaixada da Ucrânia em Brasília, Anatoliy Tkach, afirmou nesta sexta-feira (25) que a agência nuclear do país registrou "níveis de radiação mais altos que o normal" em Chernobyl.

Cerca de 2.800 soldados russos foram mortos em confronto, afirma Ucrânia 

Nesta sexta-feira (25/2), em comunicado divulgado em Kiev, a vice-ministra de Defesa da Ucrânia, Hanna Maliar, informou que 2,8 mil soldados russos foram mortos nos confrontos e 80 tanques ficaram destruídos.

Tkach confirmou a informação de que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu para a população se armar para defender o país.

 "Exatamente o que eu comentei sobre a defesa territorial. São civis, homens e mulheres, que pegam em armas para proteger as suas casas dos invasores".Ele afirmou que a Ucrânia impôs a lei marcial, que impede homens de 18 a 60 anos, naturalizados ou não, de deixarem o país e que, na capital, foram introduzidos toques de recolher.

O corpo de um soldado é visto coberto de neve, na Ucrânia, nesta sexta-feira (25) — Foto: Vadim Ghirda/APO corpo de um soldado é visto coberto de neve, na Ucrânia, nesta sexta-feira (25) — Foto: Vadim Ghirda/AP

Explosões são ouvidas em Kiev

O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, disse que ao menos cinco explosões foram ouvidas na capital ucraniana nesta sexta-feira.

Agora é noite na Ucrânia. Klitschko disse que as explosões aconteceram em um espaço de 3 a 5 minutos. Ainda de acordo com o prefeito, elas parecem vir de uma área próxima ao centro de distribuição de energia da cidade.

Mais cedo, relatos de testemunhas ouvidas pela agência de notícias Reuters alertaram para o início de novos bombardeios em Kiev. Reportagem da emissora britânica BBC em solo ucraniano disse ter ouvido mísseis se aproximando da capital.

Greta Thunberg participa de protesto pró-Ucrânia

A jovem ativista sueca Greta Thunberg participa de uma manifestação contra a guerra na Ucrânia em frente a embaixada da Rússia em Estocolmo.

Greta é mais conhecida por se posicionar sobre assuntos climáticos, mas desta vez mostrou seu apoio ao governo ucraniano. Protestos contra Putin se espalham por outros países.

Greta em protesto pró-Ucrânia (Foto: Reprodução/Twitter/GretaThunberg) Greta em protesto pró-Ucrânia (Foto: Reprodução/Twitter/GretaThunberg) 

Reino Unido diz que tropas russas continuam a avançar para Kiev

A Inteligência do Reino Unido disse que as forças russas continuam a avançar nesta sexta-feira em direção a Kiev. "As forças russas continuam avançando em dois eixos em direção a Kiev", disse Jim Hockenhull, autoridade da Defesa. "Seu objetivo é cercar a capital, assegurar o controle da população e mudar o regime."

Segundo o britânico, a Rússia continua a realizar ataques em toda a Ucrânia. Durante a noite, a Rússia lançou uma série de ataques contra alvos em Kiev.

"As Forças Armadas ucranianas continuam a oferecer forte resistência, concentrando-se na defesa de cidades-chave em toda a Ucrânia".

Zelensky telefona para Biden

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, conversou por telefone com o presidente dos EUA, Joe Biden, sobre as medidas contra a Rússia após a invasão.

Além disso, o líder da ucraniano disse que conversou diretamente sobre assistência de Defesa e a criação de uma coalizão anti-guerra.

Otan: atacar a Ucrânia foi 'terrível erro' de Putin

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse que a decisão de Putin de atacar a Ucrânia "foi um terrível erro de estratégia". Os estados-membros da aliança militar se reuniram nesta sexta para tratar da guerra na Ucrânia.

Em um comunicado conjunto, as nações do Ocidente disseram que irão reforçar suas tropas no braço leste da aliança. A Ucrânia não faz parte da Otan e não há presença militar da Otan em seu território.

Conselho de Segurança da ONU se reúne

Também nesta sexta-feira, o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reúne para apresentar uma resolução em resposta a Moscou.

Putin: governo Zelensky é 'gangue de viciados em drogas e neonazistas'

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu nesta sexta-feira (25) ao exército ucraniano para "tomar o poder" em Kiev e derrubar o presidente Volodimir Zelensky e seu entorno, aos quais chamou de "neonazistas e viciados em drogas".

"Tomem o poder em suas mãos. Acho que vai ser mais fácil negociar entre vocês e eu", disse Putin ao exército ucraniano em um discurso na televisão russa.

Moscou descreve as autoridades ucranianas como "neonazistas" ou "junta" desde 2014, quando eclodiu uma guerra no leste da Ucrânia entre separatistas pró-Rússia e forças de Kiev, apesar de Zelensky ter origens judaicas.

Vladimir Putin em discurso (Russian Pool/via REUTERS TV)Vladimir Putin em discurso (Russian Pool/via REUTERS TV)

Rússia é suspensa do Conselho da Europa

A Rússia foi suspensa temporariamente do Conselho da Europa em resposta ao "ataque armado contra a Ucrânia". A organização, criada em 1949, reúne 47 países e já havia adotado sanções contra a Rússia após a anexação da Crimeia em 2014.

"A suspensão não é uma medida definitiva e sim temporária, que deixa os canais de comunicação abertos", disse o Conselho em nota. O Conselho protege os direitos humanos e o Estado de Direito em todo o continente. É uma entidade separada da União Europeia.

Presidente chinês recomenda a Putin negociar

O presidente da China, Xi Jinping, telefonou nesta sexta-feira (25) para o líder russo, Vladimir Putin, e pediu que ele negocie com a Ucrânia para acalmar as tensões na região, segundo a emissora estatal China Central Television (CCTV).

Xi disse que Pequim decidirá sua posição sobre a invasão com a Ucrânia com base no mérito da questão, mas reiterou que a posição da China foi sempre respeitar a soberania e a integridade territorial de cada país.

Presidente Xi e Vladimir Putin (Foto: Alexei Druzhinin/Sputnik/Pool via AP) Presidente Xi e Vladimir Putin (Foto: Alexei Druzhinin/Sputnik/Pool via AP) 

Vladimir Putin diz para militares da Ucrânia tomarem o poder

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que os militares ucranianos deveriam tomar o poder —ou seja, ele sugeriu que os militares derrubem o presidente Volodymyr Zelensky.

Putin disse que será mais fácil para eles se os militares tomarem o poder.

Cidade de Lviv adota toque de recolher

A cidade de Lviv, no oeste da Ucrânia, adotou toque de recolher. Em 14 de fevereiro, os Estados Unidos anunciaram a transferência de sua embaixada na Ucrânia da capital Kiev para Lviv. A cidade, longe da fronteira com a Rússia tornou-se uma espécie de refúgio para um número crescente de ucranianos que saem do leste do país.

Rússia diz que quer negociar com a Ucrânia

A Rússia está pronta para mandar uma delegação para Minsk, a capital da Belarus, para negociar com a Ucrânia, disse o porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, nesta sexta-feira (25).

É o segundo dia da invasão russa à Ucrânia.

Dmitry Peskov, porta-voz do governo da Rússia, em 18 de fevereiro de 2022 (Foto: Sergey Guneev/Sputnik/Reuters) Dmitry Peskov, porta-voz do governo da Rússia, em 18 de fevereiro de 2022 (Foto: Sergey Guneev/Sputnik/Reuters) 

Peskov disse às agências de notícias russas que o país está disposto a enviar uma delegação que incluiria dirigentes dos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores.

Segundo o porta-voz, a desmilitarização da Ucrânia seria uma parte essencial da negociação.

Ucrânia diz que mais de mil militares russos foram mortos

O Ministério de Defesa da Ucrânia afirmou nesta sexta-feira (25) que mais de mil militares da Rússia foram mortos desde o início da invasão. O ministério também afirmou que derrubou diversos mísseis e ao menos duas aeronaves dos inimigos.

A embaixada da Ucrânia no Brasil fez um balanço do conflito até agora. Segundo eles, foram abatidos

-7 aviões;

-6 helicópteros;

-Mais de 30 tanques;

-130 veículos blindados.

Rússia pode enviar delegação para negociar com ucranianos, diz agência

A Rússia está pronta para enviar uma delegação de negociadores a Minsk, na Belarus, para negociar com a Ucrânia, segundo agência de notícia russa RIA.

A delegação russa seria composta pelos ministros da Defesa e de Relações Exteriores.

Brasileiro relata desespero em Kiev: “Barulho de bomba. Coração a mil”

O brasileiro David Abu Gharbil, que vive em Kiev, na Ucrânia, tem usado as redes sociais para relatar os momentos de tensão no país em meio à invasão russa na região. As informações são do Metrópoles.

Na madrugada desta sexta-feira (25/2), David, que é engenheiro eletricista, publicou imagens de dezenas de pessoas em um bunker — construção subterrânea que serve de abrigo em situações de guerra. O grupo foi para a estrutura após uma explosão atingir a cidade.

“Tiroteio, barulho de bomba. A noite clareou, ficou de dia. Achei que eu fosse morrer. Meu coração está pulando a mil. Eu estou desesperado com o que aconteceu agora. Veio um clarão que clareou a cidade inteira. A gente não sabe o que está acontecendo na rua”, relatou.

TV UCRANIANA  transmite instruções de como fazer um coquetel molotov

A TV ucraniana transmitiu instruções de como fazer um coquetel molotov, um tipo de bomba caseira feita com combustível.

Mais cedo, o Ministério da Defesa disse em uma rede social que os moradores de Kiev devem “preparar coquetéis molotov” para deter os invasores.

Segundo o ministério, há russos no distrito de Obolon, em Kiev. Os moradores foram orientados a se proteger.

Esse é o segundo dia da invasão russa à Ucrânia.

Soldado ucraniano perto da fuselagem de um avião na periferia de Kiev, na Ucrânia, em 25 de fevereiro de 2022 (Foto: Daniel Leal / AFP) Soldado ucraniano perto da fuselagem de um avião na periferia de Kiev, na Ucrânia, em 25 de fevereiro de 2022 (Foto: Daniel Leal / AFP) 

Avião cai em área residencial em Kiev

As primeiras horas da sexta-feira (25) em Kiev, na Ucrânia, começaram com explosões em diversas regiões da capital. Pelo menos um avião russo, que pode ser ou não tripulado, foi abatido pelo sistema de defesa antiaérea da capital ucraniana.

Fuzelagem de avião que caiu em área residencial em Kiev - Reprodução/g1Fuzelagem de avião que caiu em área residencial em Kiev - Reprodução/g1

Segundo Anton Gerashchenko, um assessor do Ministro do Interior da Ucrânia, a aeronave caiu na região de Darnitskyi, no sudeste de Kiev. O oficial também publicou imagens do que seria um edifício residencial de 9 andares em chamas após bombardeios russos.

Presidente da Ucrânia propõe negociação com Putin, diz agência de notícias russa

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, propôs a Vladimir Putin uma negociação, segundo a agência de notícias russa RIA.

Em um discurso nesta sexta-feira (25), Zelensky afirmou que a invasão russa é como um ataque da Segunda Guerra repetido, e que a Europa não está reagindo rapidamente.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Foto: STR/UKRAINIAN PRESIDENTIAL PRESS SERVICE/AFPO presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Foto: STR/UKRAINIAN PRESIDENTIAL PRESS SERVICE/AFP

Ele também disse que os países da Europa ainda podem interromper as agressões russas, se agirem rapidamente.

O líder ucraniano pediu para que os cidadãos europeus façam protestos para pressionar os governos a tomar medidas mais decisivas.

Ele disse às forças armadas ucranianas que elas são tudo o que o país tem.

Russos entraram em distrito de Kiev, diz Ucrânia

O Ministério da Defesa da Ucrânia afirmou que as forças russas entraram no distrito de Obolon, a alguns quilômetros do centro de Kiev.

O ministério também recomendou que os moradores se protejam em locais fechados.

As autoridades municipais disseram que os moradores devem evitar operações militares ativas em Obolon.

Em uma rede social, o ministério disse ainda que os moradores devem “preparar coquetéis molotov” para deter os invasores.

Militar ucraniano em frente a um prédio atingido em um subúrbio da cidade de Kiev, na Ucrânia (Foto: Daniel Leal/AFP) Militar ucraniano em frente a um prédio atingido em um subúrbio da cidade de Kiev, na Ucrânia (Foto: Daniel Leal/AFP) 

Tropas se encaminham para Kiev

A chefia de gabinete das Forças Armadas da Ucrânia afirmou que os russos estão usando um campo de pouso na Belarus para reunir tropas e atacar Kiev. O plano original seria usar o aeroporto de Hostomel, perto da capital ucraniana, mas esse ponto ficou muito danificado durante a batalha, segundo o militar. As informações são do portal g1.

"Para intimidar a população da Ucrânia, o inimigo está escolhendo destruir a infraestrutura civil e de habitação", afirmou a chefia de gabinete em um texto em uma rede social.

De acordo com ele, as tropas russas avançam em direção a Kiev vindos de diversos pontos, e que as forças ucranianas lutam na periferia da cidade de Mariupol, no sul do país, e de Kharkiv, no extremo leste.

Uefa confirma transferência de final da Champions para Paris

A final da Champions League, agendada para o dia 28 de maio, não será mais realizada em São Petesburgo e, sim, em Paris, afirmou a Uefa, a entidade que organiza o futebol europeu.

Em nota, a Uefa já havia dito que está preocupada com a situação na Europa e que condena fortemente a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Rússia diz que capturou ilha no Mar Negro

As forças russas capturaram a ilha de Zmiinyi, no Mar Negro, e 82 soldados ucranianos se renderam, disse o Ministério de Defesa da Rússia nesta sexta-feira (25).

Segundo autoridades ucranianas, havia 13 guardas de fronteira na ilha que foram mortos por disparos feitos de um navio de guerra russo.

Homem em meio a escombros de prédio bombardeado na periferia de Kiev, na Ucrânia, em 25 de fevereiro de 2022 (Foto: Daniel Leal / AFP) Homem em meio a escombros de prédio bombardeado na periferia de Kiev, na Ucrânia, em 25 de fevereiro de 2022 (Foto: Daniel Leal / AFP) 

Ministro do Reino Unido: Putin está tonto e já morreram 450 russos

Ben Wallace, ministro da Defesa do Reino Unido, afirmou que o presidente russo, Vladimir Putin, não é lógico: “Acho que ele está completamente tonto, ninguém em sã consciência iria fazer o que esteamos vendo nas nossas TVs hoje”, disse ele.

Ele disse que a Rússia já sofreu mais 450 perdas desde o começo da invasão.

Para Wallace, a Rússia quer tomar toda a Ucrânia, mas o exército russo não conseguiu atingir seus principais objetivos no primeiro dia da invasão.

China se opõe às sanções contra a Rússia

A China se posiciona contra todas as sanções unilaterais e ilegais à Rússia, disse o Ministério das Relações Exteriores do país.

Rússia veta resolução condenando invasão da Ucrânia no Conselho de Segurança da ONU

O porta-voz do governo chinês reconhece a soberania da Ucrânia, mas acredita que as sanções impostas à Rússia não são uma forma efetiva de resolver a disputa e reforça que elas podem criar problemas ainda maiores para os países.

O governo chinês deve manter o comércio e cooperação normais com a Rússia, "baseado no mútuo respeito e benefício" dos países.