Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Após matar 180 em Paris, Estado Islâmico lança advertência apavorante

Em meio ao pranto, à dor e ao pavor que tomou conta de Paris após os atentados terroristas praticados no dia 13 de Novembro de 2015, que deixaram um rastro sangrento na Cidade Luz e também em Saint-Denis, e que deixaram o saldo de 180 pessoas mortas e mais de 350 feridas, o Estado Islâmico emitiu um comunicado assumindo a autoria desses atentados e fazendo uma advertência macabra aos franceses:

“Queremos que fiquem atemorizados e paralisados. Vocês constituem a “capital das abominações e da perversão”, disseram, em 14 de novembro, um dia após as ações terroristas, num comunicado lançado à população. 

Os alvos atacados pelos terroristas foram cuidadosamente escolhidos. Eles Atacaram os símbolos da cidade, pontos históricos de encontro e diversão de parisienses e visitantes. Assim foi na sala de espetáculos Bataclan, local em que os terroristas deixaram 89 pessoas mortas. Pessoas que apenas se divertiam. Seu pecado era admirar seres humanos: músicos, cantores, artistas. Eles os mataram por serem ávidos de alegria, por exercer a mística da música. Um ódio tão incompreensível como perigoso e assassino.

Diante da tragédia que matou tantas pessoas e do comunicado amedrontador, franceses faziam seu desabafo: ”Não querem que dancemos. Que escutemos música. Que nossos beijos se misturem com risadas. Amar. Divertir-se. Curtir a vida. Compartilhar jantares e almoços. Beber. Comer. Ocupar o espaço público. Sentir-se livre.

Os franceses desabafavam :

“Detestam que as mulheres leiam, escrevam, pensem e decidam por si mesmas. Sobre seu corpo, seus afetos e suas vidas. Não querem que as meninas estudem, por isso atiraram em Malala, no Afeganistão, que queria ir à escola. Tiros para castigá-la, para assustá-la, para matá-la.

Os atentados atingiram pessoas inocentes em bares e restaurantes, salões de festas, estádios e ruas. Tudo o que caracteriza um modelo de liberdades em um espaço público.

Agiram de noite. Uma sexta-feira. Justo quando a Cidade-Luz se ilumina com a luz dos gozos e dos prazeres, com as sobras das emoções e dos afetos, com a claridade das artes. Quando a vida parece eterna. Quando a noite protege os amantes, os cúmplices, os amigos. Chegaram de noite, para torná-la eterna, para que não tivéssemos um amanhã, e ganhar sua falsa eternidade com seu incompreensível martírio.





Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar